Bigode chinês: como evitar ou corrigir

Linda, com o corpo em forma e cheia de estilo, a Giovanna Antonelli não escapa de um problema comum para muitas mulheres: o chamado “bigode chinês”, traços que vão do cantinho do nariz ao cantinho da boca e costumam deixar as mulheres com um aspecto mais envelhecido. A atriz já revelou em diversas entrevistas que tem essas linhas de expressão e que não descarta a possibilidade de recorrer a procedimentos estéticos futuramente.

A atriz Giovanna Antonelli já declarou que tem linhas de expressão sobre a boca (Crédito: Rede Globo)

Quando surge o “bigode chinês”?

Os primeiros sinais do “bigode chinês” podem surgir a partir dos 30 anos ou mais tardiamente, por volta dos 40 ou 50 anos, segundo a dermatologista Gabriella Vasconcellos, da clínica Goa Health Club. Para prevenir os sinais do tempo, ela recomenda sempre o uso de filtro solar e de produtos à base de ácidos retinóico, glicólico e hialurônico. “Eles ajudam a retardar e até suavizar o problema”, afirma.

Nos casos em que o problema já apareceu, a recomendação é o preenchimento com ácido hialurônico. “O procedimento devolve o volume e suavidade deste sulco e tem uma resposta excelente. É minimamente invasivo, com anestesia tópica (creme) 40 minutos antes da aplicação. Dura cerca de 30 minutos e permite que o paciente retorne em seguida ao trabalho”, explica o dermatologista Júlio César Nogueira, do W Spa.

Outra opção para amenizar as rugas ao redor da boca é a aplicação de toxina botulínica. É só procurar um profissional capacitado e ver a indicação para cada caso.

Procedimentos naturais a base de colágeno

Para procedimentos não invasivos, a suplementação de colágeno pode ser uma maneira eficaz no combate ao bigode chinês, pois por se tratar de um nutriente produzido naturalmente pelo corpo, não tem contra indicação. A suplementação é uma boa medida, já que após os 30 anos a produção de colágeno diminui drasticamente. Quer saber mais? Conheça o colágeno Renova 31.

0Shares