Os 4 principais tipos de colágeno

O colágeno é uma proteína importante que constitui um dos principais componentes de matrizes extracelulares e tecidos conjuntivos como o osso e cartilagem. De acordo com o livro “Biologia de Células Moleculares”, existem mais de 16 tipos diferentes de colágeno, embora cerca de 80 a 90 por cento do colágeno em seu corpo é um dos três tipos diferentes. Como fizemos vários posts sobre isso, agora é o momento de decidir qual deles é ideal para atingir o objetivo que você deseja. Aqui faremos uma breve análise dos principais tipos de colágeno e para que servem cada um deles, assim você vai ter certeza de qual deles adquirir dependendo da sua intenção.

O colágeno do tipo I

É o tipo mais abrangente no corpo, está ligado aos ossos, pele e tendões do corpo inteiro. Assim como os outros colágenos, colágeno do tipo I forma uma hélice tripla composto por três cadeias ou cordões, cada um deles com 1050 aminoácidos e cerca de 300 nanômetros de comprimento. As ligações de hidrogênio entre aminoácidos nas diferentes cadeias ajudar a mantê-los juntos e dar a fibra uma grande quantidade de força. Colagénio do tipo I é extremamente forte – de acordo com o livro “Biologia de Células Moleculares” a sua resistência por unidade de massa é maior do que o aço – e constitui o componente principal dos tendões, estruturas de tecido conjuntivo que ligam os músculos e ossos. Colágeno tipo I, também ajuda a reforçar os seus ossos.

O colágeno tipo II

O colágeno tipo II é a principal proteína na cartilagem, o tecido conjuntivo resistente encontrada em seu nariz, orelhas e muitas articulações em seu corpo. Trabalha junto com outros tipos de colágeno para se manter firme e por isso se torna extremamente resistente. As fibrilas de colágeno desse tipo ajudam a cartilagem a conseguir sua força e resiliência.

O colagénio do tipo III

Enquanto o colagénio tipo III não é tão forte como o colagénio do tipo I, que também forma hélices triplas que são notáveis pela sua durabilidade. O colagénio III é comum em paredes arteriais, na pele e nos intestinos. É também produzido por fibroblastos e selam a pele danificada, em resposta a uma lesão, uma vez que pode ser produzido um pouco mais rapidamente do que o colagénio do tipo I. Uma vez que a ferida tem tempo para curar, o colagénio do tipo III será gradualmente substituído com fibras de colagénio do tipo I para formar a cicatriz. Além de possuir uma grande importância em órgãos e revestimento das artérias.

O colágeno hidrolisado

Se trata de colágeno que passa por um processo químico para que seja quebrado em micro partículas, e assim ser melhor absorvido pelo corpo tendo um melhor aproveitamento. É o mais comum entre as opções de suplemento pois podem ser produzidos na forma de pó e cápsulas garantindo uma versatilidade maior em sua utilização.

Conclusão

Dependendo de sua intenção ao utilizar suplementos de colágeno é possível priorizar algum dos tipos que tenha maior efeito na região que você precisa. Como o tipo I para articulações auxiliando no tratamento de problemas de saúde ou o tipo V que tem uma abordagem mais estética por cuidar de cabelos e unhas. A sugestão é procurar um produto que ofereça a maior variedade desses tipos para conseguir melhores resultados com o suplemento, não fará mal algum ingerir alguma desses proteínas mesmo que não haja deficiência dela no corpo.

0Shares